coloque aqui seu e-mail para receber as mensagens:

Gravidez e Meditação

Estou escrevendo isto no dia 3 de Outubro de 2018.

A prática da meditação regular, adequada para aluno, e orientada por um professor experiente, traz diversos benefícios, como hoje a ciência comprova amplamente. Adquire-se o controle, tanto sutil como mecânico, da respiração, sincronizado com eficiente controle de todo o corpo. Equilíbrio e domínio desde o sistema motor e musculatura, ao sistema nervoso, emoções e pensamentos. Tudo isso pode tornar a gestação e o parto muito mais fáceis, seguros e até confortáveis, tanto para a mãe, como para o bebê.

Uma gestante que medita transmite para a criança em seu útero qualidades físicas de equilíbrio, pelo sistema nervoso e ritmos cardíaco e, segundo os ensinos da tradição, também qualidades sutis de paz, amor e elevação espiritual.

Mas saber tudo isso na teoria, é diferente de viver e acompanhar mamães meditadoras.


Dia 30 de Setembro passado foi aniversário de 190 anos do nascimento de Lahiri Baba, o iniciador da linhagem de professores de meditação da qual faço parte, como Yogacharya.
 

E no dia do aniversário do Guru, os discípulos é quem recebem presentes. É assim que funciona com autênticos gurus. Eles é quem dão. A riqueza deles é não reter nada e ter sempre muito para dar. E os presentes são luz na consciência dos alunos atentos. Despertamos de algo. Adquirimos discernimento e liberação espiritual.



Então, dia 30 passado, abri meu laptop e dei de cara com essa foto ao lado. É a aluna Fernanda. Estava meditando e foi fotografada pelo olhar amoroso do marido, o aluno Marcelo. A gestante foi iniciada em Kriya Yoga em 2017, na primeiríssima turma de praticantes dessa técnica de meditação, na cidade de Manaus, capital do Amazonas.
E olhar essa foto despertou em mim o presente, do guru para mim. É o que se chama de "darshan". Isto é, uma visão que desperta a consciência da Divindade. Me dei conta que estou com cinco alunas grávidas (que sei). E que estou podendo colaborar para essas amorosas e divinas mamães e papais, para que possam trazer estas crianças ao mundo com mais paz. Para elas trazerem mais paz para o mundo humano, que sempre precisa.



Não pude evitar umas lágrimas de felicidade, quando me dei conta que estou tendo essa benção de poder fazer isso, pelo simples fato de estar me dispondo a cooperar com a linhagem de gurus. Transmitindo os ensinos da verdadeira prática de meditação, que é uma ciência disponível para todas as pessoas. Independente de pertencerem a alguma religião ou mesmo para os que não tem qualquer tipo de fé, ou sejam ateus. Basta querer, ter disciplina e praticar.



Duas semanas atrás, na porta do Equinócio da Primavera, foi outra aluna grávida, a Ana Isa, quem me mandou uma mensagem super legal:




E não ficou nisso. Com a Lua Cheia, abriu o espaço aéreo de aterrissagens, e a Ana me escreveu novamente, dias depois, comunicando o nascimento de sua filhinha e do Lucas, a Aurora:




Bom, transbordei de felicidade com a mensagem da Ana.

Pela chegada da Aurora, claro. E pela mamãe ter tido esse carinho comigo, de escrever todas essas coisas super legais.



Mas foi só dias depois, no tal dia 30, aniversário de Sree Lahiri, que acendeu a luzinha na minha cabeça e eu me dei conta de todas as outras alunas grávidas. E que estou sendo instrumento de algo amoroso e libertador, sem planejar, sem ficar tentando controlar nada. Simplesmente por estar no fluxo da vida, próximo e atento a sua fonte, por onde jorra e respira, com Amor.

A respeito do Lahiri, coloco aqui o trecho de um “bhajan” de sua autoria, “Meu Culto é um Raro Culto”. Bajhan é um canto sagrado, de inspiração e métrica livres. Penso que este encapsula a essência do ensino deste meu professor. De forma poética, explica o que é a prática de meditação profunda, os Altos Kriyas:



Meu culto é um culto raro
Eu não mais borrifo água de Ganga

Eu não preciso nem de frutas nem de flores

Eu perdi todos meus utensílios de culto

Eu esqueci Shiva, Kali e Tara
Eu me afoguei em meu Pai Todo-Poderoso.

Eu esqueci deidades masculinas e femininas
Eu estou absorvido na Alma que em Mim habita
Ligado e absorvido em Trindade
Eu mergulhei profundamente em meu canal espinal
Minha percepção de corpo se foi, eu estou em Alegria
Eu cultuo meu corpo com meu poder divino.


O canto é uma apologia à não-forma, ao desapego de qualquer tipo de tradição ou entendimento formal. E ao mesmo tempo celebra o mergulho na consciência do próprio corpo (pela centro do sistema neural), tomando consciência da fonte milagrosamente vital, que torna existente a própria consciência. Para além da forma.
A Trindade a que se refere Lahiri são três aspectos interiores da consciência, de luz, som e vibração, que fazem parte da ciência da meditação Kriya Yoga.

Agradeço a minhas lindas alunas grávidas e ex-grávidas, e seus esposos, pela oportunidade de ser seu professor. Agradeço à linhagem de Gurus e à Mãe Divina por essa alegria maravilhosa.

Agradeço à Fernanda e ao Marcelo por liberarem a publicação da foto. E à Ana Isa e o Lucas, pela autorização de postagem do depoimento.

Desejo às outras três alunas que não mencionei os nomes, que tenham vigor, concentração e saúde, para ampliar ainda mais suas consciências de amor, vida e paz, neste período.



Com Amor,
Yogacharya Céu
Sampa, 3 de Outubro de 2018

PS1: E escrevendo isto e recebendo a notícia que nasceu hoje o menino da Fernanda e do Marcelo! Benções Divinas do Topo da Cabeça à Solas dos Pés do recém aterrissado.
PS2: O nome dele é Miguel
PS3: Na semana que escrevi este post, começou a estudar comigo mais uma aluna grávida.

Para contatar o Yogacharya Céu: yc@lightbreath.org

4 comentários: